Pular para o conteúdo principal

Carência

Você para e pensa que ontem queria tanto um alguém e hoje já não quer mais, olha para a foto da criatura e se pergunta “Eu estava sob o efeito de drogas quando me humilhei para ficar com isso? ”, seus amigos olham e dizem: foi a carência. Sempre é essa maldita. A carência é um bicho que meche com seu psicológico, afeta sua visão e engana seu coração, não amou a Julieta, mas estava carente então ficou com a Julieta, matou a carência e a Julieta perdeu a graça, não ache se ache um cretino, ou algo do tipo, é culpa da carência e você inocente até que se prove o contrário.

Você não queria ir atrás, queria desapegar, não dizer mais “Oi”,  passou a semana toda feliz da vida, mas na sexta-feira, ela chega, a carência vem como um tsunami invadido cada célula do seu corpo, ativando cada parte do seu cérebro  e te fazendo lembrar, você pega o  celular e decide dar um “Olá” para um alguém que certamente nem se lembra da sua existência, esse alguém demora vinte minutos para responder, e você se acha um otário, porque no fim das contas só está indo falar com ela por causa dessa carência absurda.

A carência te transforma em um mendigo, um pedinte que sai de porta em porta em busca de carinho e atenção, ela te deixa vulnerável, altera sua visão e te faz ver amor onde não existe nada, nadinha, apenas um alguém falando algo que não sente e ela a maldita te faz criar expectativas, a maldita te faz querer que tudo aquilo seja verdade, e o pior, muitas vezes ela te faz acreditar nas mentiras.

Você toma banho, veste seu pijama, se deita na cama e fico tentando entender porque esse coração sente tanta carência, sente essa necessidade de querer estar com alguém, essa vontade de ter alguém para ligar e passar horas conversando sobre o tempo, sobre a mosca que pousou na sopa na hora do jantar, sobre o ônibus que perdeu quando estava indo para a escola, sobre a vida.

A carência é aquela roupa que te cai melhor do que qualquer outra, mas ela não te aquece nos dias frios, nos dias de solidão ela se torna a sua melhor amiga, mas não é capaz de te dar um simples abraço, quase sempre ela traz a maldita solidão junto com ela e as duas fazem festa dentro do seu coração, te sufocam, te prendem e te fazem um mal danado.

Durante o dia você enche a cabeça de livros, filmes, aulas, fotos, tenta se manter ocupado, não quer que reste sequer um minuto para pensar sobre essa carência ou sobre a falta que ter alguém te faz, mas no silêncio da noite ela vem como um chicote atingindo suas costas nuas.
Texto.Yago Alves

Comentários

Postar um comentário

Essa postagem,te ajudou?

Postagens mais visitadas deste blog

COMO SOBREVIVER A PERDA DE UM AMOR...

Como sobreviver à perda de um amor, seja a morte de uma pessoa querida,
o fim de um relacionamento, a perda da juventude, da saúde, de um emprego, de um ideal.
Ao enfrentar uma perda, o corpo sofre o mesmo processo que um ferimento físico.
Precisamos aceitar esse processo, confiar nele e ter certeza de que a dor vai passar e,
quando passar, nós seremos mais fortes, felizes, sensíveis e conscientes.
Tudo tem seu tempo:
E há tempo para tudo sob o céu.
Há tempo de nascer e tempo de morrer.
Há tempo de plantar e tempo de colher o que se plantou.
Há tempo de matar e tempo de curar.
Há tempo de destruir e tempo de construir.
Há tempo de chorar e tempo de rir.
Há tempo de lastimar e tempo de dançar.
Há tempo de espalhar pedras e tempo de juntá-las.
Há tempo de dar abraços e tempo de conter-se.
Há tempo de adquirir e tempo de perder.
Há tempo de guardar e tempo de lançar fora.
Há tempo de rasgar e tempo de costurar.
Há tempo de calar e tempo de falar.
Há tempo de amar e tempo de odiar.
Há tempo de guerra e tem…

Depressão

Ninguém dá bola para a depressãoPOR GABRIEL ALVESNo post de hoje do Cadê a Cura? trago um texto de uma amiga, Tati Oshiro, que relata suas experiências e impressões sobre a depressão.  Certamente não são poucos os nossos amigos e familiares que sofrem calados com a doença. O relato da Tati, com uma linguagem forte e natural,  pode ajudar quem nunca teve um contato tão próximo com a doença a entender um pouquinho desse mundo do ponto de vista de quem mais sofre –o doente.Trintei na depressão, por Tati Oshiro*Fui diagnosticada na época em que meus amigos estavam dando grandes passos em suas vidas e seguindo em frente. De certa forma, eu sei que fiquei pra trás. Às vezes eu me sinto meio esquecida, sabe? Na verdade, às vezes, eu mesma me esqueço.Assim que eu fui diagnosticada, muitos dos meus amigos estavam comprando apartamentos, noivando, casando. Enquanto eu era hospitalizada (as primeiras vezes),eles estavam tendo seus primeiros filhos. Carreiras iam em frente, mais bebês nasciam e e…

Depre...

Ter depressão não é bonito. Dormir mais de 12 horas por dia não é bonito. Não ter vontade de levantar não é bacana. Chorar muito e sem motivo não é drama. Não ter capacidade de fazer aquilo que você mais gosta não é legal. Se sentir incapaz e não se reconhecer é terrível. Ter maus pensamentos e perder a vontade de viver é doloroso. Sentir a vida passar enquanto a sua ta parada é cruel. Viver trancado dentro de si é viver em meio a sombras. Cansar de viver e passar apenas a existir.
Se você conhece alguém ou já teve depressão copie e cole no seu mural para as pessoas entenderem que depressão é coisa séria e não mera frescura.
Isso é muito sério!